Feeds:
Posts
Comentários

Archive for agosto \07\UTC 2008

Read Full Post »

Direitos dos esquerdos

Os Direitos dos Esquerdos

Educadores ressaltam que é preciso respeitar a tendência natural dos canhotos

Alessandra Moura Bizoni
(Folha Dirigida)

Em um mundo projetado para os destros, os canhotos têm dificuldades de adaptações às condições das salas de aula que, muitas vezes, podem até provocar lesões.

Mary Sue: respeito às diferenças entre canhotos e destros dentro da sala de aula.

Apesar de 90% das pessoas preferirem usar a mão direita e os outros 10% da população se dividirem entre aqueles que usam a mão esquerda, ou as duas mãos, para realizar suas tarefas, o mundo e a escola também são dos canhotos. Depois de terem sido discriminados através dos séculos, os sinistros, como eram conhecidos, finalmente passam a ser aceitos e tratados de forma igualitária nas escolas.

Hoje em dia, a vida dos canhotos melhorou. Mas, há poucas décadas, as escolas reproduziam o preconceito, obrigando os alunos canhotos a escreverem com a mão direita. Em casos mais extremos, a mão esquerda chegava a ser amarrada. Grande parte desses avanços se deu em função do desenvolvimento dos estudos de Psicomotricidade e da aplicação desses conhecimentos de forma incisiva, principalmente, no jardim de infância, onde a lateralidade das crianças costuma se definir.

Psicopedagoga da equipe da Escola Catavento Gávea e professora de pós-graduação da Universidade Candido Mendes (UCAM), Mary Sue de Carvalho explica que a nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira (LDB) coloca, num mesmo patamar, o desenvolvimento cognitivo, psicomotor e afetivo nas Diretrizes da Educação Infantil.

“Não é indicado que a criança desenvolva somente o lado cognitivo. É preciso desenvolver também os aspectos psicomotores e afetivos da personalidade para que o processo ensino-aprendizagem se dê sem problemas”, argumenta a educadora.

Já a lateralidade é definida pelo uso da mão, do pé e do olho. O cérebro humano é dividido em dois hemisférios — um direito e outro esquerdo. Os destros têm o hemisfério esquerdo como dominante e os canhotos, o direito. Esta inversão ocorre entre os hemisférios e os lados dominantes devido a um cruzamento das fibras nervosas.

“Cada um dos hemisférios comanda a parte oposta do corpo. Portanto, os movimentos feitos com a mão esquerda, o pé esquerdo e o olho esquerdo são comandados pelo hemisfério direito e vice-versa”, explica a psicopedagoga. Nesse sentido, Mary Sue de Carvalho afirma que a lateralidade das crianças pode ser descoberta em atividades lúdicas através de baralhos, trabalhos de percepção visual com números, cópia de figuras e até mesmo da leitura.

Na sala de aula

Em um mundo feito para os direitos, as dificuldades para os canhotos vão desde o manuseio de utensílios do dia-a-dia, como tesouras, abridores-de-lata e maçanetas, até situações escolares que exigem procedimentos da esquerda para a direita (como por exemplo, a leitura e a escrita nas línguas ocidentais).

Voltados para o ensino de técnicas instrumentais aos direitos, os professores acabam esquecendo-se de indicar aos canhotos, sempre em minoria, como eles devem proceder. Além disso, os cadernos, os livros, a escrita, a orientação da luz na sala e muitas outras particularidades estão quase sempre apenas previstos em função dos direitos.

Por isso, a psicopedagoga Mary Sue Carvalho explica que a postura dos alunos deve ser condizente com sua posição, já que eles têm tendência a dobrar o punho quando escrevem. Além de cansativa, essa postura pode causar problemas na coluna.

Especialistas indicam que o certo é escrever com a folha inclinada num ângulo de 45º. A professora também ressalta a importância do número adequado de carteiras para canhotos nas escolas. “Os professores precisam ficar alertas para a postura rotativa dos alunos que costumam segurar o caderno de forma errada. Com o tempo, pode haver necessidade de tratamento de fisioterapia em função de calos, tendinites e até atrofia dos dedos”, revela a educadora.

Nos manuscritos, as retas vão normalmente da esquerda para a direita e de cima para baixo, enquanto que as rotações se fazem no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio, o que é fácil de executar com a mão direita, mas difícil com a esquerda, tendo por isso os canhotos a tendência para fazerem estes traçados no sentido oposto (retas da direita para a esquerda e de baixo para cima e arcos no sentido dos ponteiros do relógio).

Diante desses desafios, a interação entre a escola e a família é fundamental. “Não existe diferenciação do tratamento a alunos canhotos. A escola deve entrar em contato com a família quando surgir qualquer tipo de problema”, frisa a professora da pós-graduação da Universidade Candido Mendes.

Porém, quando é necessário realizar uma atividade com a lateralidade contrária, os canhotos são mais bem-sucedidos do que os destros. Segundo Mary Sue Carvalho, isso acontece porque, como o mundo é feito para os direitos, os esquerdinos acabam exercitando mais sua lateralidade contrária. “Um exemplo disso é o ‘mouse’ do computador. Geralmente, os canhotos aprendem a utilizá-lo com a mão direita. Em casos de acidentes, também percebemos que canhotos conseguem se adaptar usar melhor seu lado direito do que os destros usando seu lado esquerdo. O sinistro é sempre mais jeitoso. A maturação neurológica é mais fácil no canhoto”, esclarece a psicopedagoga.

Existem ainda casos de lateralidade cruzada, que são pessoas que escrevem com a mão direita, mas usam a perna ou o olho esquerdo e vice-versa. No entanto, o caso mais curioso é o dos ambidestros, que desenvolvem habilidades com as duas mãos. “O ambidestro tem habilidades com as duas mãos. Isso é excelente, pois desenvolve os dois hemisférios do cérebro. No entanto, devemos deixar as crianças seguirem sua tendência natural. Mas precisamos estar cientes de que contingências da vida podem nos levar a ter que usar o nosso outro lado do hemisfério”, alerta a professora, complementando que a Escola Catavento Gávea utiliza práticas pedagógicas e Música para proporcionar a destros e canhotos atividades que otimizem o uso de sua lateralidade através de imitação de animais, situações da vida prática e artes plásticas.

Mitos, verdades e mentiras

Na Grécia Antiga, o simples pronunciar “mão esquerda” era constrangedor. Na Idade Média, muitas mulheres canhotas foram queimadas pela Inquisição, apontadas como bruxas. Os esquimós acreditam que todos os canhotos são poderosos feiticeiros, mais ou menos como pensam os marroquinos, para quem os esquerdos são pessoas malvadas ou até mesmo demônios. Até mesmo na religião católica, o sinal da cruz é feito com a mão direita. Em praticamente todos os continentes, crenças e lendas sobre o assunto são comuns.

De acordo com o verbete do Aurélio, canhoto significa “inábil, desajeitado e desastrado”. Outra palavra usada para designar os esquerdos é sinistro, que está relacionada ao mau agouro. Não é à toa que o dia dos canhotos é comemorado numa data bastante sugestiva: 13 de agosto.

A causa mais apontada para o “canhotismo” é a tendência genética. Quando ambos os pais são canhotos, a probabilidade de a criança nascer canhota é de 50%. Quando o pai é canhoto e a mãe é destra, ou vice-versa, as chances de nascimento de canhoto são de 17%. No caso de ambos os pais serem destros, as probabilidades de um filho sinistro se reduzem a 2%.

No entanto, não há comprovação de um gene que determine qual irá ser o hemisfério dominante do cérebro. Um exemplo sempre citado é o da Família Real Britânica, na qual o Rei George II, Rei George IV, a Rainha Victória, a Rainha Mãe Elizabeth e o Príncipe Charles são canhotos.

A figura invertida no espelho evidencia o modo como o mundo dos destros se apresenta para os canhotos.

Alessandra Moura Bizoni é repórter do Caderno de Educação da Folha Dirigida.
E canhota.

http://br.geocities.com/mundocanhoto/artigos/portugues_br/direitos_esquerdos.htm

Read Full Post »

A maior parte das pessoas é destra…
Quem usa a “mão esquerda”, é canhoto!
Há pessoas que são destras de mãos e esquerdinas nos pés: chutam de preferência com o pé esquerdo, quando começam a caminhar dão o primeiro passo com o pé esquerdo e usam-no também primeiro para pisar ou para subir degraus.
O contrário também acontece: canhotos de mãos e destros de pés!
Hoje em dia não é grande problema, pelo menos actualmente, mas há uns anos, ser canhoto era muito difícil.
Além de ser motivo de troça, os canhotos eram obrigados a usar a mão direita, sobretudo quando era para escrever… E isso não dá muito jeito.
– Amarravam-lhes a mão esquerda atrás das costas para só usarem a direita;
– Davam castigos duros a quem fosse apanhado a escrever com a mão esquerda;
– E batiam, para que não se pudessem esquecer disso…
As pessoas não se lembravam era que os canhotos só não escreviam com a mão esquerda, mas tudo o resto (varrer, cavar, pegar em algo, torcer, engomar, apertar, usar ferramentas, etc.) continuava a ser feito com a sua mão preferida!
Pois, e tudo porque o lado esquerdo significa o que é mau. Uma tradição e crença muito antiga.
A História conta…
No antigo Egipto, o deus Set era chamado “o olho esquerdo do Sol” e era considerado o mal e o Diabo.
Claro que o bonzinho era Hórus, o deus da vida, chamado “o olho direito do Sol”.
Mas o problema com a esquerda não era só coisa de egípcios…
No budismo Buda diz que o caminho para o Nirvana (o estado puro e da salvação) divide-se em duas partes: o da mão esquerda, que é a maneira errada de viver e deve evitar-se e, claro, o da mão direita, que é o certo…
Nos países muçulmanos e na Índia, as pessoas não comem usando a mão esquerda, porque é com ela que se limpam depois de defecarem … Só a direita é que é a “mão limpa”, por isso só com ela é que podem comer.
O nome dado ao Diabo é Satanás. E diz o livro sagrado dos judeus (o Talmude) que o Diabo tinha um comandante, o príncipe dos demónios, cujo nome significava “o lado esquerdo”.
Como isso significava o Mal, o Bem tinha de ser o lado direito…
Portanto, o Diabo é canhoto!

Superstições:
Na Irlanda, ver três pegas do lado esquerdo dá azar. Mas duas pegas do lado direito dá sorte. (Espera-se que as pegas não andem muito em grupos de três.)
Na Irlanda, também, ouvir um cuco cantar do lado direito dá um ano inteiro de sorte.
Os Esquimós acreditam que todos os canhotos são feiticeiros poderosos.
Em Marrocos acredita-se que os canhotos são demónios ou pessoas malvadas.
Cuidado com as pestanas que caem: se for do olho esquerdo, acontece algo mau. Se for do lado direito, algo bom. Isto é coisa de chineses.
Comichão na palma da mão direita significa ir receber dinheiro. Se for na esquerda… Claro, é perdê-lo!
Na Escócia, entrar com o pé esquerdo significa trazer o Diabo. Bom, não é só na Escócia… É bem conhecida a expressão “entrar com o pé direito”?
Quando se encontra um canhoto à terça-feira de manhã dá azar!

Coitados dos canhotos!!!
Bom, a palavra canhoto e a ideia de esquerda não são coisas muito bem vistas, mas isto passa-se já desde o princípio dos tempos.
Vê como nas várias línguas estas palavras têm (infelizmente) significados negativos:
latim (língua que falavam os romanos) – sinister – significa “demónio”.
italiano – sinistra – significa “esquerda”.
romeno – bongo – significa “torto” ou “diabo”.
inglês (termo escocês) – gawk-handed – significa “canhoto”, mas gawk quer dizer “pessoa tola”.
inglês (termo americano) – goofy é a pessoa que usa o lado esquerdo, mas também é usado para “pateta” e “trapalhão”.
italiano – mancino – significa “canhoto”, mas quer dizer também “pessoa desonesta”.
francês – gauche – significa “esquerda”, mas quer dizer também “pessoa desajeitada”. Gaucher – significa “canhoto”.
espanhol – zurdo – significa “canhoto”, e “ir azurdas” quer dizer “ir na direcção errada”.
russo – levja – significa “canhoto”, é também um insulto e veio da expressão no levo que significa “mau”, “vil”. Quer também designar um traficante do mercado negro.
polaco – lewo – significa “canhoto”, é também algo ilegal ou proibido.
alemão – linkisch – significa “desajeitado”, links quer dizer “esquerda”…

Alguns de muitos…

http://my.opera.com/Maria%20Rom%C3%A3/blog/index.dml/tag/CURIOSIDADES

Read Full Post »

Mundo às avessas…

Viver num mundo às avessas
Tem um filho canhoto? Saiba como ajudá-lo no dia-a-dia
Sabia que os canhotos processam mais rapidamente a transferência de informação de um hemisfério do cérebro para o outro e que isso os torna mais rápidos em alguns desportos, vídeo games ou até dirigir com muito trânsito?

Esta foi a conclusão de um estudo elaborado pela Universidade Nacional australiana e é apenas mais uma prova que durante séculos, a sociedade foi injusta para os canhotos, olhados com desconfiança erradamente desde os primórdios da humanidade. Apesar de tudo, os 12 a 15 por cento da população mundial, que preferem a mão esquerda para fazer as tarefas que a maioria realiza com a direita, ainda continuam a ter que se adaptar a um mundo criado quase exclusivamente para destros.

Se o seu filho é canhoto, ajude-o a ultrapassar essas dificuldades. Vai ver que não é assim tão difícil.

Um gene especial

A razão porque alguns de nós usam a mão esquerda em detrimento da direita, é uma questão antiga que só obteve confirmação científica em Agosto de 2007. Tal como já se previa, ser canhoto tem uma causa genética. Investigadores da Universidade de Oxford conseguiram individualizar um gene (chamado LRRTM1) que, de acordo com os cientistas, determina que o hemisfério direito do cérebro seja dominante em algumas pessoas, fazendo com que usem preferencialmente o lado oposto do corpo, ou seja, o esquerdo.

Nos destros predomina o hemisfério esquerdo, que controla o lado direito do corpo. Curiosamente, os dois hemisférios do cérebro têm funções específicas no pensamento humano.

Enquanto o esquerdo é responsável pelo pensamento linear, pelo raciocínio e pela lógica, o direito está associado ao pensamento holístico, à criatividade e às emoções. Daí que muitos canhotos tenham uma apetência especial para as artes.

A preferência

«A idade em que a lateralidade começa a definir-se é variável de criança para criança», afirma Rosa Gouveia, presidente da secção de Pediatria de Desenvolvimento da Sociedade Portuguesa de Pediatria. No primeiro ano de vida, o bebé manipula os objectos com as duas mãos, mas no segundo pode já mostrar preferência por uma delas.

«Isto é facilmente observável quando a criança empilha cubos ou usa o lápis para fazer riscos no papel», exemplifica. «Os meus pais começaram a reparar que era canhota aos três anos quando comecei a pegar na colher para comer», conta Filipa Pais, professora.

Segundo a pediatra, os pais «devem deixar que a criança defina a sua lateralidade e não a devem contrariar. Proibi-los não é fisiologicamente correcto». Mas durante muito tempo, foi comum obrigar-se as crianças canhotas a escrever com a mão direita.

Castigo este que apenas serviu para dificultar a aprendizagem, pois qualquer tarefa escolar requeria o dobro da concentração. «E o que acontecia é que a criança poderia até passar a escrever com a mão direita, mas continuava a usar a esquerda para as outras manipulações», assegura Rosa Gouveia.

As dificuldades

As mentalidades mudaram, mas ainda hoje os canhotos encontram dificuldades no dia-a-dia. «Tesouras, facas (especialmente as de peixe), carteiras de sala de aula com apoio só do lado direito», são alguns dos utensílios que dificultaram a situação a vida de Filipa Pais, professora mas, como a maioria dos esquerdinos, também ela arranjou estratagemas para superar essas dificuldades.

«Os canhotos acabam por se adaptar ao facto de tudo estar pensado para os destros e por encontrar estratégias para lidar com as dificuldade daí resultantes. Por exemplo, pegam nas canetas de forma a não passarem a mão por cima da escrita e a não borrar a página, ou viram a tesoura ao contrário», confirma a pediatra.

Contudo, existem utensílios concebidos especialmente para serem usados com a mão esquerda. «O seu uso não é obrigatório, porque a adaptação aos utensílios ditos normais será útil pela vida fora, mas ter uma tesoura, um rato de computador ou um instrumento musical adaptado, facilita muito a vida das crianças», avisa Rosa Gouveia.

Mais uma diferença
Destros e canhotos têm formas diferentes de ver o mundo:

Uma equipe de investigadores da Universidade de Birmigham concluiu que os canhotos usam o hemisfério esquerdo do cérebro para observar a totalidade de uma imagem, por exemplo uma floresta.

Mas quando querem ver detalhes, como as árvores, usam o hemisfério direito. Nos destros, acontece precisamente o contrário.

Sem oferta
Em Portugal, não há lojas especializadas em utensílios para canhotos, mas na Internet encontram-se facilmente, clique e faça as suas compras em http://www.manutan.pt, http://www.anythingleft-handed.co.uk ou http://www.thelefthand.com.

http://familia.sapo.pt/parceiros/familia/saber_viver/819189.html

Read Full Post »

Minha mão esquerda

Ser canhoto não é uma coisa do outro mundo, e os pais nunca devem reprimir essa preferência.

Apesar de gêmeos, Fernanda e Victor, 5 anos, mostraram a canhotice em momentos diferentes, cada um no seu ritmo.

Será que ele vai ser destro ou canhoto? Quem nunca se fez essa pergunta ao ver o filho, ainda bebê, segurando os brinquedos, ora com uma mão, ora com outra? Essa agilidade motora, dizem os especialistas, é perfeitamente normal: nos primeiros meses de vida, a criança é ambidestra, ou seja, tem habilidade com as duas mãos. A definição final da lateralidade (nome que os cientistas dão à predominância motora de um dos lados do corpo) só irá ocorrer entre os 6 e os 8 anos. Muito antes disso, porém, a criança já começa a mostrar certa preferência pelo uso de uma das mãos.

A menina Isadora, por exemplo, dava sinais desde cedo de que seria canhota. ‘Com pouco mais de 1 ano, ela já utilizava a mão esquerda para segurar a colher, pegar as bonecas e apontar para os amigos’, conta sua mãe, Rebeca Werdesheim Cardoso. Hoje, com 5 anos, parece não haver mais dúvida. ‘Na escola, ela escreve, faz desenhos e usa a tesoura com a esquerda’, afirma Rebeca – também canhota, por sinal.

Os cientistas não chegaram a uma conclusão definitiva sobre os motivos que levam uma criança a ser destra ou canhota, embora a maioria deles aposte na determinação genética. Seria, portanto, uma característica herdada dos pais. Um estudo feito no início dos anos 90 revelou que filhos de pais destros têm apenas 9,5% de chance de ser canhotos. Mas se o pai ou a mãe é canhoto, como é o caso de Isadora, a possibilidade sobe para 19,5%. Se os dois são canhotos, o filho terá cerca de 26% de probabilidade de ter a mesma lateralidade dos pais.

Papel do cérebro

Quem comanda a lateralidade é o cérebro. Cada um de seus dois lados controla os movimentos da parte oposta do corpo. Assim, a mão e o pé esquerdos são acionados pelo hemisfério cerebral direito, e vice-versa. ‘Nos destros, o hemisfério dominante é o esquerdo, enquanto nos canhotos é o direito’, explica o neurologista Mauro Muszkat, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Outra descoberta a respeito da lateralidade é que, apesar de inata, a preferência por uma das mãos, por um dos pés ou por um dos olhos (sim, embora muita gente não saiba, também temos um olho dominante) vai se instalando progressivamente. ‘A dominância de uma das mãos surge no fim do primeiro ano de vida, mas só co-meça a se definir em torno dos 5 anos’, afirma a psicopedagoga Irene Maluf, da Associação Brasileira de Psicopedagogia. E cada criança se desenvolve num ritmo próprio.

É exatamente esse ritmo particular que fez a lateralidade de cada um dos gêmeos Victor e Fernanda, 5 anos, evoluir de forma diferente. ‘Desde pequena, a Fernanda pega as coisas com a mão esquerda’, lembra sua mãe, Paula de Cillo Alexandre. ‘No Victor, nenhuma preferência por uma das mãos surgiu até que entrasse na escola. Aí, ele passou a usar mais a esquerda e hoje escreve com essa mão’, recorda ela. Neste caso, nenhum dos pais é canhoto, mas apenas um tio paterno.

Atenção para a lateralidade cruzada

Quando uma criança é ambidestra ou tem lateralidade cruzada, pode sofrer dos mesmos prejuízos causados pela inibição do canhotismo, ou seja, pode apresentar dificuldade de alfabetização, desorientação espacial, etc. A lateralidade cruzada acontece, por exemplo, quando a criança é canhota de olho e destra da mão ou do pé. É preciso, então, fazer um programa com a criança, para organizar sua psicomotricidade. ‘Com uma série de exercícios visuais, motores e escritos, tentamos harmonizar essas preferências e organizar a dominância exercida pelos dois lados do cérebro’, explica a psicopedagoga Irene Maluf. ‘Embora não exista comprovadamente ligação direta entre os distúrbios da aprendizagem e o canhotismo, com freqüência percebemos essa relação no caso de crianças que não possuem simetria lateral definida’, diz a especialista.

Sem forçar

Atualmente, as crianças canhotas já não são mais vistas como anormais, como ocorria no passado. ‘Cheguei a levar ‘reguadas’ para escrever com a mão direita’, diz Rebeca, a mãe de Isadora. Os castigos iam além: alguns professores amarravam o braço esquerdo da criança, para forçá-la a usar a outra mão. ‘Isso é um grande equívoco’, observa o neurologista Muszkat. ‘Ser canhoto não é defeito, e reprimir essa orientação pode provocar sérios danos à criança’, diz ele.

Crianças canhotas forçadas a usar a outra mão têm dificuldade para ser alfabetizadas. Podem demorar a ler e escrever. Às vezes, acabam sofrendo de problemas de orientação espacial, o que as faz tropeçar e trombar nas coisas. Por isso, os pais nunca devem forçar o uso da mão ou do pé direitos. ‘Ser canhoto é uma característica pessoal, e não há desvantagem nisso’, adverte a psicopedagoga Irene Maluf.

Objetos adequados

Não existem estatísticas oficiais, mas estima-se que 5% a 12% da população são canhotos ou canhotas. Por serem minoria, enfrentam pequenas dificuldades no dia-a-dia. A maioria dos objetos, utensílios e ferramentas foi feita para quem usa a mão direita. Até o corrimão das escadas e a maçaneta das portas foram projetados para satisfazer os destros. Isso não significa que é preciso fazer mudanças em casa quando se tem um filho canhoto. ‘Qualquer adaptação exagerada vai valorizar para a criança uma diferença que não é relevante’, explica Irene Maluf. ‘O importante é observar o desenvolvimento do filho e, se possível, muni-lo dos instrumentos adequados para a realização de certas tarefas.’

Apesar de viver num mundo de destros, o canhoto tem vantagens. Uma pesquisa recente sugere que ele pode ter mais facilidade para memorizar coisas. Isso porque, no canhoto, os dois hemisférios cerebrais se comunicam melhor, pois o feixe de fibras nervosas que os conecta é maior. Além disso, como a dominação exercida pelo hemisfério direito do cérebro não é tão poderosa quanto a do lado esquerdo, o canhoto tem mais facilidade para ser ambidestro. Ou seja, muitos dos canhotos também têm pleno domínio do uso da mão direita.

Feitos para eles

Pode parecer bobagem, mas não é nada fácil para uma criança canhota usar uma tesoura ou sentar-se numa carteira escolar convencional. Esses objetos, como muitos outros (abridores de lata, instrumentos musicais de corda, baralhos, relógios) foram desenhados para ser usados por destros. Infelizmente, é difícil encontrar artigos para canhotos no Brasil. Nossa reportagem procurou lojas especializadas nisso e não as encontrou. Nenhuma das pessoas entrevistadas para esta matéria conhecia uma casa que vendesse exclusivamente produtos para canhotos.

Nos Estados Unidos, a loja The Left Hand (A Mão Esquerda, em inglês), localizada na Flórida, tem mais de 100 artigos feitos para canhotos. A relação vai de tesouras e canivetes suíços a relógios e baralhos. Para ver os produtos oferecidos, entre no site www.thelefthand.com. O ruim é que, apesar de fazer vendas on-line, a loja não envia as encomendas para fora dos Estados Unidos. No Brasil, a Mundial fabrica tesouras para canhotos.
A Microsoft e a IBM também têm acessórios para computador, como mouses, que podem ser usados indistintamente por destros e canhotos.

Fonte: Revista Crescer – Editora Globo

Read Full Post »