Feeds:
Posts
Comentários

Archive for janeiro \03\UTC 2009

Outro dia eu estava numa roda de amigos conversando animadamente. O meu filho de cinco anos permanecia brincando ao lado. Um dos meus amigos observou que o garoto era canhoto e fez um comentário que me deixou nervoso.
Devo esclarecer que não gosto que reprimam meus filhos. Fico bravo mesmo.
Disse o meu amigo, que eu deveria colocar uma meia na mão do menino pra forçá-lo a usar a mão direita.
Eu argumentei que de nada valeria tal artifício, pois não se tratava de escolha ou hábito do meu filho. Ele então do alto da sua sabedoria(?), disse que lhe desse umas boas palmadas toda vez que ele usasse a mão esquerda, isso resolveria o problema.
Tive vontade de mandar o meu amigo para um certo lugar, porém, preferir me calar para não ofender o idoso senhor e sua genitora. Mordi a língua e fiquei calado. Pouco depois arranjei uma desculpa qualquer e fui embora. Passei numa sorveteria e juntamente com o meu filhos tomamos em sorvos lentos algumas bolas de sorvetes.
Depois de velho estou engolindo sapos a toda hora.

Durante milhares de anos, o lado esquerdo tem sido preterido e marginalizado e isso é demonstrado, na prática, nas crenças preconceituosas e palavras pejorativas que lhe são associadas.

Por outro lado, a direita é sempre louvada, exaltada, considerada normal.
A Bíblia indica como lugar de honra à direita do Deus-Pai.

Os canhotos, aqueles que usam a mão esquerda, ficaram estigmatizados, como pessoas no mínimo diferentes e esquisitas.

Até há poucas décadas, os canhotos eram castigados ou convencidos á alguma forma a trocarem direitinho mão. Pessoas canhotas não eram bem vistas.

Sabemos que ser canhoto é fazer um esforço a mais para coisas tão banais do cotidiano que, na verdade, não deveriam exigir esforço algum. Torneiras, maçanetas,  tudo o que gira, gira para a direita, seguindo a ditadura dos destros.

Para os canhotos, de duas, uma: ou vivem um eterno jogo de desmunhecar ou aprendem a lidar com as coisas usando a mão direita.

Uma das teorias mais, aceitas para justificar a preferência pelo lado direito das coisas diz que isso surgiu com os primeiros habitantes do hemisfério Norte, adoradores do Sol. Pois, no hemisferio Norte, o Sol parece mover-se no sentido horário, para a direita. Seguindo nessa mesma direção, os budistas fazem suas caminhadas para meditar.
Os peregrinos que vão a Meca rezar para Alá, circundam da esquerda para a direita a Kalaba, a construção onde está a pedra sagrada dos seguidores de Maomé.

E tem mais, os muçulmanos, afirmam e acreditam que Deus tem duas mãos direitas, só não afirmam que os canhotos vão para o inferno.

Na idade média, a inquisição queimou os canhotos, como praticantes de bruxarias, mensageiros da morte e enviados do diabo.

As escritas alfabéticas de modo geral indiscutívelmente favorecem os destros, porque correm da  esquerda para a direita. Nessa direção, o canhoto cobre com a própria mão o que está escrevendo ou acaba torcendo o punho, segurando a caneta com a mão em forma de gancho.

Não existe uma explicação cientifica para o fenomeno do canhotismo. Nem a ciência moderna consegue explicar.
A única expressão organica do canhotismo é o fato de o lado  direito do cérebro ser aproximadamente onze por cento maior do que o esquerdo e dele partir um feixe mais expresso de nervos.

É fato comprovado que os canhotos são mais ágeis e por isso se destacam nos esportes. No futebol vários jogadores se destacaram pelo o uso magistral da perna esquerda, tais como: Gerson, o “canhotinha de ouro. Rivelino, que executava maravilhosamente os dribles curtos  e chutava muito forte, ficou conhecido como a “patada atômica”.

Apenas para ilustração, citaremos algumas pessoas famosas que eram canhotas;Benjamim Franklin, Beethoven, Baden Powell, Beth Faria, Chaplin, Denis Carvalho, Jimi Hendrix, Leonard da Vinci, Marilyn Monroe, Michelângelo, Napoleão, Paul McCartney, Picasso, Ringo Starr, Robert Redford, Ronald Regan e o meu filho Mardem Willian.

pesquisa: Mat. Lúcia Helena de Oliveira

RONALDO JOSÉ DE ALMEIDA
Publicado no Recanto das Letras em 08/03/2008
Código do texto: T892789

Read Full Post »