Feeds:
Posts
Comentários

Archive for novembro \01\UTC 2008

Como os canhotos bem sabem, o mundo ainda é dos destros. Tesouras, abridores de lata, saca-rolhas, acessórios de computador, e até colheres tortas para bebês são feitas para a mão direita. Mas por que mais de 90% das pessoas preferem usar a mão direita? Na verdade, por que existe qualquer preferência pelo uso de uma das mãos, seja qual for?

Não é preciso especular muito para achar uma vantagem para o uso preferencial de uma das mãos. Se não houvesse preferência, os dois lados do corpo, igualmente capazes, poderiam entrar em disputa na hora de começar a andar, alcançar a chave do carro, jogar a bola, ou pegar o lápis e escrever. Já imaginou ter que perder tempo decidindo com que pé chutar a bola de futebol que cai do céu redondinha, sozinha entre você e o gol? A preferência “automática” por um dos lados do corpo resolve esse problema, e assim você pode se concentrar em coisas mais importantes, como driblar a defesa se aproximando.

Além de resolver o problema da escolha, a preferência por um dos lados do corpo é econômica: todos os esforços do treinamento podem se concentrar em uma só mão, braço, ou pé. O problema é que os efeitos benéficos da prática são específicos para o lado treinado, e por isso não seria muito econômico precisar treinar as duas mãos para fazer a mesma tarefa. Já pensou quanto tempo a gente passaria na escola se todo mundo precisasse aprender a escrever bem com as duas mãos? Ou aprendesse a tocar violão dos dois lados? Ou treinasse o saque ora com um braço, ora com o outro?

Tudo isso justifica a lateralização, e não só no homem. De fato, outros animais que usam as mãos para comer ou manipular objetos, como aves, mamíferos, e até mesmo sapos, também têm preferência por uma das patas. A diferença é que a distribuição de preferências é mais democrática neles do que no homem. No camundongo, por exemplo, 50% dos animais preferem usar a pata esquera, e 50% preferem a direita. A questão realmente cabeluda é por que nos homens a preferência é 90% das vezes a favor do lado direito do corpo, controlado pelo lado esquerdo do cérebro.

O que tem de tão especial no lado esquerdo do cérebro? Pra começo de conversa, tem a primeira função cuja localização no córtex cerebral foi descoberta: a linguagem. Em 96% das pessoas, é o lado esquerdo do cérebro que abriga a capacidade de produzir a fala. Será que o uso da mão direita pode ser apenas uma conseqüência da fala ser dominada pelo cérebro esquerdo?

Sim e não. Sim porque, como seria de se esperar, a incidência de controle da fala pelo outro lado do cérebro é maior nos canhotos: 27% deles falam com o lado direito do cérebro, contra 15% dos ambidestros, e apenas 4% dos destros. Mas isso não pode ser tudo – senão, setenta por cento dos canhotos não deveriam ser canhotos…

Qual é então a base para a preferência para a mão direita? Ainda não se sabe ao certo (oooooohh…), mas é certo que a explicação deve levar em consideraçnao uma série de fatores diferentes:

1- a genética, já que é sabido que há famílias com alta incidência de preferência pela mão esquerda, muito acima dos 8-10% da população em geral. A chance de ter uma criança canhota é de 10% quando pai e mãe são destros, 20% quando ou o pai ou a mãe é canhoto (especialmente se for a mãe), e 26% quando ambos são canhotos. Exemplos famosos na história são a família real inglesa e o clã escocês dos Kerr – quem, inclusive, construiam em seus castelos escadas espirais ao contrário, no sentido anti-horário, que davam vantagem aos espadachins canhotos da família.

2- hormônios, como a testosterona, que influenciam tanto a lateralização funcional do cérebro quanto a diferença entre os sexos, já que há mais canhotos (12.6% dos homens) do que canhotas (9.9% das mulheres) no mundo. Dita assim a diferença pode não parecer muita, mas fazendo as contas, há quase 30% mais homens canhotos do que mulheres canhotas! Uma das teorias mais aceitas reza que um aumento do efeito da testosterona no cérebro durante a gestação atrasaria o desenvolvimento do lado esquerdo do cérebro, dando vantagem ao lado direito.

3- a influência sócio-cultural como a repressão do uso da mão esquerda ou mesmo a conversão forçada;

4- fatores mecânicos, como a posição do feto no útero, que influenciam o desenvolvimento da lateralização funcional no cérebro antes mesmo do nascimento, já que ao nascer o cérebro já tem assimetrias, e já existem diferenças no movimento das duas mãos;

5- patologias ou problemas no parto que perturbam o desenvolvimento normal da lateralização funcional do cérebro. Complicações no parto são mais comuns entre canhotos (nos filhos, não nas mães!), e são associadas a vários problemas também tradicionalmente relacionados à preferência pela mão esquerda: autismo, epilepsia, paralisia cerebral, síndrome de Down, nascimento prematuro, estrabismo, e até esquizofrenia. ATENÇÃO: isto não quer dizer que canhotos tendem a ter esses problemas, e sim que pessoas que têm esses problemas são canhotas mais frequentemente do que as outras; e

6- o simples uso das mãos e do cérebro, estimulando e direcionando a lateralização funcional, já que o grau de preferência por uma das mãos aumenta com a idade.

Já deu pra sentir que deve haver várias maneiras de se tornar destro ou canhoto, não é? Para piorar a vida dos pesquisadores, provavelmente vários desses fatores interagem entre si, uns compensando ou exacerbando o efeito dos outros… Por isso, na opinião de alguns cientistas, não há uma única forma de ser canhoto, mas ao menos quatro: o uso preferencial da mão esquerda pode ser hereditário, inato sem ser herdado (ou seja, congênito), aprendido, ou resultar de danos ao cérebro.

Independente do que causa a preferência manual, alguma diferença deve haver entre o cérebro de destros e canhotos. De fato, há diferenças anatômicas e funcionais. Nos homens destros, o sulco central – aquela fenda que atravessa o alto do cérebro de uma orelha à outra – é mais profundo no lado esquerdo do que no lado direito do cérebro; nos homens canhotos, essa assimetria é menor, ou é invertida. Mas não há nenhuma diferença entre o sulco central de mulheres destras ou canhotas… Uma outra estrutura, chamada plano temporal – aquela que dizem que era maior no cérebro do Einstein -, é assimétrica nos destros (maior do lado esquerdo), e simétrica nos canhotos. Mas descobrir o que isso quer dizer são outros quinhentos…

As diferenças funcionais conhecidas estão na representação das sensações e dos movimentos das mãos, como era de se esperar. No córtex motor, a região do cérebro que dá a ordem de se movimentar, há mais células para cuidar dos movimentos da mão direita nos destros, e da mão esquerda nos canhotos – o que provavelmente garante movimentos mais precisos na mão preferida de cada um. No córtex somatossensorial dos destros, a região que recebe os sinais da mão direita é maior do que a esquerda. Mas apenas na metade dos canhotos a representação da mão esquerda é maior do que a da direita – o que por um lado é curioso, mas por outro ajuda a explicar por que os canhotos usam melhor a mão direita do que os destros usam a esquerda…

O problema é que todas essas diferenças podem perfeitamente ser o RESULTADO de ser destro ou canhoto, e não a causa! Já se sabe, há alguns anos, que o so modifica a representação das sensações e dos movimentos no cérebro – e provavelmente é por isso que a sensibilidade e as habilidades melhoram com a prática. Nos violinistas profissionais, por exemplo, a representação no cérebro dos dedos da mão esquerda, extremamente exercitados no dedilhado, é muito maior do que a dos dedos da mão direita, que apenas seguram o arco. E ninguém acredita seriamente que esses violinistas já nasceram assim. Principalmente porque quanto mais anos de prática eles têm, maior é a representação da mão esquerda…

http://www.portaldascuriosidades.com/forum/index.php?topic=33815.0;wap2

Anúncios

Read Full Post »

Cientistas australianos descobriram que alguns cachorros são canhotos, outros são destros, e os demais são ambidestros. Apesar de parecer banal, essa pequena  informação é importante ao treinar cães para trabalho policial ou como guias para cegos.

De acordo com o estudo, cães que usam a pata esquerda e a pata direita igualmente (ou ambidestros), provavelmente serão mais perturbados por fogos de artifício e temporais. Isso os torna inadequados como cães de trabalho. Identificando esta preferência, os treinadores serão capazes de eliminar os cães que poderiam fracassar, antes mesmo do treinamento ter início.

“Metade dos cães que são selecionados para ser treinados não servem pra isso e nós estamos tentando reduzir essa média de fracassos, porque o treinamento não é nada barato”, diz Paul McGreevy, um especialista em comportamento animal da Faculdade de Ciências Veterinárias da Universidade de Sydney.

Para determinar se um cão é destro, canhoto ou é ambidestro, observe quando os cães tentam segurar seus recipientes de comida. Não que isso tenha importância para você. Nós estamos certos de que, até onde você pode conceber, o seu cão é o melhor cão do mundo.

Link: http://science.qj.net/Is-Your-Dog-Left-Handed-or-Right-Handed-/pg/49/aid/64356

Read Full Post »

Um estudo dos pesquisadores franceses Charlotte Faurie e Michel Raymond da Universidade de Montpellier publicado na revista Biology Letters, demonstrou que a proporção de canhotos entre artistas pré-históricos era aproximadamente igual à atual.
Os especialistas analisaram 507 impressões de mãos em 26 cavernas da França e Espanha.
As impressões de mãos, datadas entre 30 e 10 mil anos, são produzidas colocando-se uma mão na parede e soprando pigmento através de um tubo. Os pesquisadores partem da premissa que o homem pré-histórico segurava o tubo com a mão dominante (a mão esquerda no caso de canhotos).
Assim sendo, uma impressão de mão direita significaria que o artista era canhoto. A proporção encontrada de canhotos foi de 23%. Atualmente a média mundial situa-se em 12%, embora haja grandes variações entre 3 e 30%, dependendo da população analisada.
Fonte: BBC News 13/02/2004.

http://www.redespeleo.org/conexao/conexao_06.php

Read Full Post »