Feeds:
Posts
Comentários

Archive for outubro \28\UTC 2008

Pessoal, abaixo vou colocar links para alguns livros que falam sobre nós, os canhotos.

-O direito de ser canhoto, de Manuel Coelho dos Santos, Quarteto, 2001 – Sinopse:

“Surgindo da experiência pessoal do autor, pai de um canhoto, esta obra pretende dar um contributo não só a pais e professores, como também ao público em geral, alertando para as necessidades diárias dos canhotos.

Com uma apresentação inovadora, este livro poderá ser lido e consultado da direita para a esquerda e da esquerda para a direita.”

http://www.webboom.pt/ficha.asp?id=66985

-Destros e Canhotos, de José Quadros França, Melhoramentos, 1969.

-Right-Hand, Left-Hand: the origins of  asimmetry in brains, bodies, atoms and cultures, de Chris McManus.

The left-hander syndrome: the causes and consequences of left-handedness, de Stanley Coren.

The natural superiority of the left-hander, de James T. deKay.

The left-handed book, de James T. deKay.

Left is right: the survival guide for living lefty in a right-handed world, de Rae Lindsay.

-The left stuff: how the left-handed have survived and thrived in a right-handed world, de Melissa Roth.

A left-hand turn around the world: chasing the mistery and meaning of all things southpaw, de David Wolman.

The world’s greatest  left-handers: why left-handers are just plain better than everybody else, de Sandy Huffaker.

The left-hander’s handbook, de James T. deKay.

Loving lefties: how to raise your left-handed child in a right-handed world, de Jane M. Healey.

Bom, por enquanto são esses, descobrindo outros vou adicionando à lista. Se tiver algum para indicar, por favor, deixe sua indicação nos comentários. Obrigada!

Read Full Post »

Livro: Desenhando com o lado direito do cérebro, de Betty Edwards.

Prefácio à edição brasileira:

“Desenhando com o Lado Direito do Cérebro”, além de ser o melhor livro já publicado sobre o ensino do desenho, é o primeiro que apresenta e divulga uma aplicação prática das recentes descobertas sobre as especializações funcionais dos hemisférios cerebrais.

Betty Edwards, apoiada nas pesquisas do Dr. Roger Sperry (Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia de 1981), com um texto claro e riquíssimo, desvenda e desmistifica o até então misterioso “talento” para o desenho.

Através da intuição, da pesquisa e de sua particular genialidade,
estabelece as bases de uma revolução no ensino do desenho.

As técnicas por ela utilizadas já eram do conhecimento de alguns professores e artistas plásticos. A execução de croquis de cabeça para baixo, por exemplo, era recomendada pelo Professor Jay Doblin em 1956. Os exercícios de Kimon Nicolaides, a percepção e utilização dos espaços negativos, também não são novidades, porém, não se sabia porque exatamente estas práticas desenvolviam a percepção visual.

O grande mérito da Dr.a Betty Edwards é ter dado um
fundamento científico a todo esse conhecimento intuitivo, criando um método extraordinariamente rápido e eficaz, uma união perfeita da intuição (hemisfério direito) com a razão (hemisfério esquerdo), da arte com a ciência.

Há dois anos venho estudando este método e o aplicando em vários alunos dos cursos que dou no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e no Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB— RJ), obtendo resultados comparáveis aos apresentados neste livro. O Método Betty Edwards no meu entender deve ser estudado por todos os professores e alunos de desenho das escolas secundárias, escolas de arte e universidade do Brasil. A utilização das descobertas sobre as especializações funcionais dos hemisférios cerebrais irá — acredito eu — alterar todo o processo de aprendizagem, conseqüentemente todo o ensino. Finalmente estou convencido que, com o passar do tempo, as bases científicas do trabalho da Dr.a Betty Edwards terão sua aplicação a outros ramos do conhecimento, criando os rumos de uma nova educação.

Read Full Post »

Ser canhoto ou esquerdino (em português de Portugal) significa ter mais habilidade com a mão esquerda do que com a mão direita. Mas esta característica tão simples teve, ao longo do tempo, implicações muito importantes a nível da sociedade e da religião: de facto, “canhoto” é também o mesmo que demônio, daí a utilização da expressão “cruzes, canhoto!”

Embora inicialmente a palavra latina “sinister“, que queria dizer “esquerdo”, significasse “afortunado”, as línguas francesa, espanhola e italiana aplicam à palavra canhoto um significado pejorativo: esquerda em italiano diz-se “sinistra” e a palavra francesa “gauche” (esquerdo) pode aplicar-se também a algo incorrecto ou desajeitado, no sentido idêntico ao da palavra portuguesa “canhestro”, que é sinónimo de canhoto. Na religião muçulmana, houve mesmo alguns seguidores de Maomé que afirmaram que Alá tinha duas mãos direitas. Excepção à regra é o grego, que foi o único a favor da esquerda, no que se refere ao sinónimo. O termo grego que designa a mão esquerda, tem o sentido de “melhor” e a mesma origem da palavra “aristocracia”.

Na época medieval, as mulheres canhotas foram alvo de especial perseguição, tornando-se os bodes expiatórios perfeitos para aplicar a qualquer pessoa que tivesse um comportamento diferente do “normal”. A propaganda religiosa sobre o “pecado” enraizou-se em massa nas comunidades, dando origem a uma rede de intrigas que envolvia também as velhas, as viúvas, as loucas, as solitárias, as promíscuas e as parteiras e praticantes da medicina popular. No caso das canhotas, as acusações de bruxaria baseavam-se na relação estabelecida nos textos antigos entre o lado esquerdo e o pecado e a tentação.

Bibliografia:
SANTOS, Manuel Coelho dos, O direito de ser canhoto, Lisboa, Quarteto Editora, 1991.
NOGUEIRA, Carlos Roberto, As práticas mágicas no Ocidente Cristão, Rio de Janeiro, Editora Ática, s.d.

http://passadocurioso.blogspot.com/2005/11/canhotas-e-outras-bruxas.html

Read Full Post »

Olhe essa imagem. Em qual sentido você a vê girando? O site de onde a retirei, diz que se você a vê girando no sentido horário, é porque usa mais o lado direito do cérebro. Se vê no sentido anti-horário, é porque usa mais o lado esquerdo do cérebro. Eu vejo girando nos dois sentidos… normalmente o sentido fica anti-horário quando mexo o mouse com a mão direita ou agora que estou digitando o texto…

Sou canhota, e uso o mouse com a mão direita porque sou a única canhota da família e por já estar habituada a isso. Não sei se a questão da mudança do sentido de giro da imagem tem mesmo algo a ver com uso dos lados do cérebro, mas vi algumas pessoas comentando que só conseguem ver ela girando num sentido, horário ou anti-horário, por isso achei interessante colocar aqui, como curiosidade.

http://www.news.com.au/heraldsun/story/0,21985,22556281-661,00.html

“Os cientistas descobriram que temos um lado do cérebro – o esquerdo – que se especializa em raciocínio lógico, linear e analítico, relacionado com a análise objetiva, desapaixonada, calculista. O lado direito, por sua vez, é a parte do cérebro que permite o raciocínio não-linear, holístico, espontâneo e intuitivo, relacionado com a análise emocional, subjetiva, mística e romântica. Os dois lados do cérebro trabalham em harmonia, equilibrando nossas decisões, mas por razões que os especialistas não entendem ainda, alguns indivíduos desenvolvem capacidade de raciocinar mais com um lado do cérebro do que com o outro. E a diferença é grande: pessoas com o lado esquerdo dominante resolvem problemas com base em fatos, analiticamente, privilegiando palavras, números e ocorrências apresentadas em seqüência lógica; pessoas com o lado direito dominante procuram por insights, imagens, conceitos, padrões, sons e movimentos, que sintetizam em uma solução intuitiva.”

“Pessoas que usam mais o lado esquerdo do cérebro são excelentes avaliadores dos fatos, mas no seu extremo podem se tornar cínicos e descrentes. Também são práticos e podem se tornar gerentes competentes, mas correm o risco de radicalizar e se tornarem extremamente detalhistas.

Pessoas que usam mais o lado direito do cérebro são comunicativos e habilidosos no trato com gente, mas no seu extremo podem ser muito emotivos, sujeitos até mesmo a impulsos irracionais. Também são criativos e imaginosos, mas correm o risco de desconectarem da realidade e viverem em um mundo de fantasia.

Mas existem quatro estilos de raciocínio. É a combinação do lado esquerdo ou direito com o lado superior (cerebral) ou límbico (inferior) do cérebro.

Analítico (cerebral esquerdo)
Os pensadores analíticos são aqueles que concluem que a observação lógica é a única forma de determinar a realidade, ou seja, a verdade não pode ser determinada até que os fatos a provem. Os que pensam assim baseiam-se em processos muito críticos e rigorosos de raciocínio, procurando a relação de causa e efeito para qualquer coisa. Exemplos de profissões: médicos e advogados.

Controlado (límbico esquerdo)
Os pensadores controlados são aqueles que fazem uma coisa de cada vez, num processo seqüencial. São planejados e organizados, e normalmente muito eficientes e confiáveis nas suas atividades diárias. Gostam de ter tarefas específicas e claras para executar. Normalmente não confiam nas emoções ou na intuição para tomar decisão. Profissões: programador de computador, secretárias, policiais.

Sensível (direito límbico)
São aqueles que prestam atenção às emoções, ao sentimento e ao espírito. São indivíduos empáticos, caridosos, comunicativos. Num processo de tomada de decisões são aqueles que interagem com as pessoas, expondo o problema e estimulando o surgimento de soluções. Profissões: psicólogo, professor.

Intuitivo (direito cerebral)
São aqueles caracterizados pela criatividade. Conseguem sintetizar informações dispersas e formar um quadro completo de situações, mas não conseguem comprovar suas idéias com base em fatos. Esses profissionais trabalham normalmente com um esquema próprio de trabalho e têm dificuldades de se adaptar com horários regulares. Profissões: artistas, escritores, web designers.

Estilo de raciocínio e carreira estão intimamente ligados. E o desempenho no trabalho depende da postura mental que você adotar. Pensar de maneira correta, gostar do trabalho que desempenha e ser produtivo é uma combinação de sucesso. Vamos ver a seguir sugestões dos autores do livro ” Sua Carreira – escolhas e mudanças” (David Borchard, John J. Kelly, Nancy-Pat Weaver) para ajudar você a treinar seu raciocínio.

Para ser analítico
– Seja totalmente objetivo
– São os fatos que importam
– Decida e resolva problemas usando a lógica
– Questione sempre suas premissas e suas conclusões
– Faça o papel de advogado do diabo
– Seja exato e preciso na sua comunicação
– Trate os outros com justiça

Para ser controlado
– Mantenha uma agenda de compromissos
– Chegue a conclusões ordenadamente e passo a passo
– Priorize tarefas e faça a mais importante primeiro
– Mantenha uma lista diária de tarefas e siga-a
– Seja organizado, pontual e confiável
– Aprenda a gostar de procedimentos, regras e normas

Para ser intuitivo
– Leia sempre, para estimular as idéias
– Faça associações originais de idéias
– Confie nos seus instintos e palpites
– Trabalhe muito quando estiver inspirado – depois relaxe
– Use sempre imagens mentais; fantasie, sonhe
– Estimule a criatividade com jogos, danças e música

Para ser sensível
– Reconheça seus sentimentos e confie neles
– Entenda as pessoas a partir dos seus próprios sentimentos
– Apoie sempre os outros
– Ouça música que leve ao bom humor e à harmonia
– Decida com o coração e com a alma
– Expresse os sentimentos com intensidade”

http://www2.uol.com.br/aprendiz/guiadeempregos/palavra/jbotelho/ge260901.htm

Read Full Post »

Seja Obama ou McCain, o próximo presidente dos EUA será canhoto

da France Presse, em Washington

O próximo presidente dos Estados Unidos, seja o republicano John McCain ou o democrata Barack Obama, será novamente um canhoto, como inúmeros líderes norte-americanos, de Ronald Reagan a Bill Clinton, uma estatística singular que intriga a imprensa norte-americana.

Desde 1974, os Estados Unidos tiveram quatro presidentes canhotos: Gerald Ford, Ronald Reagan, George Bush pai e Bill Clinton, destacou recentemente o jornal “New York Sun”.

Mesmo entre os vice-presidentes ou candidatos perdedores, o número de canhotos é bem representado com Al Gore, Robert Dole, John Edwards ou Ross Perot.

A proporção de canhotos na sociedade norte-americana é de 10% a 12% aproximadamente, o que torna ainda mais misterioso o grande número de líderes políticos canhotos durante as últimas décadas.

“A presidência esteve nas mãos de canhotos durante 22 anos nos últimos 34 anos”, revelou o jornal “Washington Post”.

Os canhotos que usam mais o hemisfério direito de seu cérebro seriam mais aptos a “visualizar o conjunto de um problema, a fazer várias tarefas ao mesmo tempo, a dar provas de criatividade”, comentou o “New York Daily News”.

Assim, matemáticos, artistas e arquitetos seriam profissões que atraem mais canhotos, dizem os jornais, citando como exemplo Michelangelo, Leonardo da Vinci, Albert Einstein e Marilyn Monroe.

Os canhotos de gerações mais antigas, por terem sofrido pressões para entrar na norma de uma sociedade dominada por destros, têm mais perseverança, chave do sucesso em política, afirmou ainda o “Washington Post”.

O jornal destacou que um canhoto nascido antes dos anos 1950, como o provável candidato republicano, McCain, tinha dificuldades porque enfrentava as pressões dos professores na escola.

Em 1900, a proporção dos que ousavam se dizer canhotos era de apenas 3% na sociedade norte-americana, segundo uma pesquisa da National Geographic.

Em 1988, um artigo do “Post” questionava a candidatura de George Bush pai: “Queremos um presidente canhoto?”.

Mais tarde, quando o presidente cuidava de um descontrole da tireóide, comentaristas brincavam que os canhotos seriam mais propensos a doenças auto-imunes da tireóide.

“Este ano, após a eleição de novembro, eles devem trocar as tesouras e os abridores de garrafa da Casa Branca”, concluiu, em tom de brincadeira, o “NY Daily News”.

Mas “cientificamente falando, o que este país precisa, é de um líder ambidestro”, resumiu o “Post”.

http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u421118.shtml

Read Full Post »

Meus pais colocaram os talheres na minha frente e eu decidi ser diferente, peguei o garfo com a mão esquerda e desde então adicionei mais um adjetivo ao meu ser: canhoto.
Mas qual o problema em ser canhoto? Dizem que os canhotos são mais sensíveis, voltados para as artes e lógico, mais inteligentes, só pra citar alguns ilustres canhotos: Picasso, Da Vinci, Chaplin, Machado de Assis, Bill Gates, Albert Einstein, preciso dizer mais alguma coisa?
Então porque tanto preconceito contra os canhotos? Só há uma resposta: o mundo foi feito para os destros.
Só pra começar canhoto é também conhecido como sinistro, em português canhoto é sinônimo de inábil, já o destro é sinônimo de hábil, direito. A mão do destro é a direita, ou seja, a mão certa, a mão da maioria, o canhoto usa a mão esquerda, a mão “errada” a mão contrária.
Lembro que quando eu sentava ao lado do meu irmão nas refeições era briga na certa, cotovelo batendo com cotovelo, agora consigo me controlar melhor e procuro um lugar à mesa aonde eu não incomode ninguém.
E no colégio e faculdade? As cadeiras foram feitas para os destros, as vezes eu pedia cadeira pra canhoto mas era sempre um transtorno, tinham que procurar pelas salas até acharem uma perdida acomodando alguma mochila. Olhavam pra mim com pena, tadinho, ele precisa de uma cadeira pra canhoto. Cansei. Resolvi me contentar com as cadeiras de destro, hoje estou tão acostumado que prefiro estas à de canhotos.
Não podemos esquecer de outros utensílios feitos para destros, a régua, a tesoura e o famigerado abridor de latas, você que é destro pode estar se perguntando o porque disso, mas só um canhoto pode me entender, e como conviver com tudo isso? Foi fácil, me adaptei, aprendi a usá-los com a mão direita, traí minha categoria, nesses momentos sou um destro.
Não chego a ser ambidestro, olha outra discriminação, porque não ambicanhoto, porque ambidestro? O destro sempre prevalecendo. Como eu ia dizendo, não sou ambidestro, só desenvolvi uma forma de me adaptar melhor ao mundo cruel em que vivo. Não consigo escrever de forma alguma com a mão direita, já tentei, na época em que isso me incomodava, mas isso passou, até porque não teve jeito mesmo.
Também uso a perna direita pra chutar, e é claro, acordo sempre com o pé direito só por supertição é melhor não brincar com isso né?
Posso até estar exagerando, talvez esteja, porque esta “condição” realmente nunca me atrapalhou em nada, é só um pequeno desabafo não é tão ruim ser torto, acanhado, esquerdo, inapto, é como Drummond disse: “Quando nasci, um anjo torto desses que vivem na sombra disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida”.
Não posso esquecer de uma última conclusão que tirei, se Deus escreve certo por linhas tortas, é óbvio que ele é canhoto, ou seja, ser canhoto é ter algo de divino. Foi mal hein.

http://criticascriticaveis.blogspot.com/2008/05/o-mundo-dos-destros.html

Read Full Post »