Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Reportagens’ Category

Por Júlia Contier

Além do brilhantismo em diferentes áreas, o que será que Albert Einstein, Ayrton Senna, Jimi Hendrix, Kurt Cobain e Napoleão Bonaparte teriam em comum? Todos eles eram canhotos. E a lista de pessoas famosas que têm mais habilidade com a mão esquerda não pára por aí: Tom Cruise, Julia Roberts e Keanu Reeves também tiveram maior facilidade em usar o lado esquerdo para escrever.

Aqueles que desenham, pintam, ou escrevem com a mão esquerda são chamados de canhotos, os que preferem a direita são destros e os que usam as duas mãos são ambidestros.

Alunos da 3.ª série do Colégio Nossa Senhora das Graças, Guilherme Brito, Olivia Nagawama, Marina Cardim e Guilherme Trevizani relataram que machucaram a mão direita uma vez e que tiveram de usar, com muita dificuldade, a mão esquerda por alguns dias. Para as quatro crianças, a experiência não foi nada fácil: elas borravam o caderno para escrever, tinham muita dificuldade para pintar e para realizar atividades simples do dia-a-dia. “Quando eu quebrei o braço direito achava muito difícil escrever com a mão esquerda, mas mesmo assim era mais fácil do que escrever com a direita, que estava engessada”, conta Guilherme, de 9 anos . Eles perceberam que ser canhoto não é nada fácil, mas há quem ache muito bom. Giulia Falzoni, por exemplo, gosta porque ela tem facilidade em jogar tênis com a mão esquerda e conseqüentemente tem ótimos resultados nos treinos.

A técnica de handebol Andrea Maio concorda que pode haver uma vantagem: “O aluno tem que saber aproveitar a habilidade na hora de fazer a fita, porque eles podem confundir os adversários que estão esperando o drible do outro lado”, diz ela. Coincidência ou não, o titular do time de handebol, André Ribeiro, é canhoto.

Frederico Moura Ignácio, de 10 anos, também treina neste time de handebol, mas, apesar de ter o poder de desarmar o adversário lançando a bola com a mão esquerda, ele percebe algumas dificuldades por ser canhoto. Para escrever, por exemplo, a espiral do caderno incomoda muito. Marcelo Wajskop também acha ruim escrever porque a espiral machuca suas mãos na hora de fazer as tarefas.

Se até 1960 os professores proibiam as crianças de escrever com a mão esquerda, hoje tem se pensado cada vez mais nos alunos dentro do ambiente escolar, afinal os canhotos representam 10% da população mundial. As escolas já possuem carteiras adaptadas. Em algumas lojas conseguimos encontrar tesouras, cadernos, mouse, teclado e até abridores de lata para canhotos.

Para essa turma, os cadernos têm o espiral em cima e não na lateral, como um bloquinho de anotação. Ainda falando das dificuldades dos canhotos em usar materiais escolares para pessoas destras, Clara Abboud conta que usa uma tesoura especial para canhotos e diz que é bem mais fácil para cortar.

No Leadership Group, maior distribuidor de acessórios de informática do País, é possível comprar pela internet mouses e teclados especiais para canhotos (www.leadershop.com.br). Em Londres, capital da Inglaterra, existe uma loja com mais de 250 produtos especializados para canhotos (www.anythingleft-handed.co.uk). Vale a pena ficar atento a tudo que facilite a vida e a rotina de quem se vira melhor do lado esquerdo.

O fantástico mundo dos canhotos

Read Full Post »

Marcela Munhoz
Do Diário do Grande ABC

Foi-se o tempo em que o canhoto era considerado desajeitado e tinha dificuldade para realizar tarefas. Hoje, quem tem mais habilidade com o lado esquerdo também consegue fazer tudo o que o destro faz, já que há objetos específicos para ele.

Os especialistas consideram canhoto quem escreve e pratica atividades espontâneas, como pentear o cabelo e escovar os dentes, com a mão esquerda. É manifestado aos poucos, tanto que as mães logo percebem essa característica do filho nos primeiros anos.

Embora alguns ainda se compliquem na hora de usar certos objetos, todos garantem que são melhores em habilidades específicas, como no esporte. “Minha perna mais forte é a esquerda. A dos meus amigos é a direita”, diz Gustavo Duarte Tsuha, 5 anos, de Santo André.

Chutar forte com a esquerda pode surpreender o goleiro durante um pênalti e faz a diferença na hora de driblar o adversário. Quem curte futebol admira a jogada feita por um canhoto.

Apesar de escrever com a mão direita, Martin Giugliano Reiser, 12 anos, São Bernardo, desenvolveu grande habilidade com a perna esquerda quando começou a jogar futebol, há 8 anos. “Não escolhi, aconteceu.” Ele faz todas as outras coisas com a mão direita. “No futebol é importante usar a canhota. Todos os times precisam de um jogador assim.”

O espanhol Rafael Nadal, atual campeão de Winbledon, o maior torneio de tênis do planeta, é destro, mas foi treinado desde criança a jogar com a mão esquerda. Essa tática foi usada porque a maioria dos jogadores usa a mão direita. Com isso, o jogo contra um canhoto se torna mais difícil.

Apesar das vantagens, há esportes em que é proibido usar a mão esquerda, como o polo, jogo em que o esportista utiliza um taco para bater numa bola e marcar gols. Tem de fazer tudo isso em cima de um cavalo.

No passado o canhoto enfrentava preconceito. Muitos professores o obrigavam a escrever com a direita. Hoje não é mais assim: cada um deve ser respeitado como é.

Objetos diferenciados – A maior reclamação dos canhotos é na hora de usar alguns objetos feitos para os destros, como tesoura, mouse, maçaneta. Antigamente era ainda mais complicado. Hoje, muitos produtos têm a versão canhota, como os que são vendidos pelo site http://www.mundocanhoto.com

Pedro Olionis Hirsch, 8 anos, de Santo André, precisou se adaptar a usar tesoura comum e abrir a latinha de refrigerante. “Atrapalha um pouco”, fala. Para Dafne Denoni, 9 anos, o que mais complica é na hora de abrir a maçaneta da porta. “Tenho de parar, pensar e abrir com a mão direita. De resto, faço tudo com a esquerdal”, conta a menina, que não vê problema nenhum em ser canhota. “Até gosto, é diferente.”

Henry Ferrari, 6, tem um jeito prático para usar o mouse do computador. Ele muda o acessório de lado. “Só assim consigo mexer.” Muito observador, Henry já reparou que a irmãzinha de 1 ano segue pelo mesmo caminho. “Ela só pega as coisas com a mão esquerda. Tenho certeza que é canhota.”

Fonte: Canhoto numa boa – Diário do Grande ABC

Read Full Post »

por Manuela Musitano

Na verdade, podem ocorrer as duas coisas. O gene do destrismo, como é caracterizado quem escreve com a mão direita, é dominante. Isto é, basta apenas um gene de destrismo no genoma, que a pessoa já possui naturalmente uma habilidade motora maior com o lado direito do corpo.

Já no caso do canhotismo, expressão usada para classificar quem possui habilidade maior com o lado esquerdo do corpo, o gene é recessivo. Isto significa que tanto o pai quanto a mãe precisam dar ao filho o gene para que a pessoa nasça canhota, o que acaba se tornando um caso mais raro. Para você entender melhor, se um gene de destrismo se une a um de canhotismo, a pessoa será sempre destra, já que este, por ser dominante, acaba sempre se expressando.

Porém, pode-se dizer que os indivíduos possam ser treinados a utilizar melhor determinado lado do corpo. É o que acontecia antigamente, quando superstições e crenças diziam que ser canhoto não era uma coisa normal e as crianças canhotas tinham suas mãos esquerdas amarradas ou até mesmo quebradas para usarem apenas a mão direita para escrever. Este novo hábito fazia com que canhotos se tornassem novos destros.

Isso acontece também com portadores da Síndrome de Down, que se configuram em 28% de canhotos, mas não porque a maioria carrega o gene do canhotismo, pelo contrário, eles são canhotos por fazerem suas ações como um espelho do que está de frente para ele, estimulando assim o lado contrário de quem os orienta.

A diferença entre ser destro e ser canhoto está na utilização dos hemisférios do cérebro, que são divididos em dois: o esquerdo e o direito. Ao contrário do que você pode pensar, o hemisfério esquerdo controla as ações do lado direito e vice-versa, podendo ser ações separadas, piscar apenas o olho esquerdo, ou ações associadas, como por exemplo, bater palmas.

O hemisfério esquerdo, responsável pela habilidade do lado direito, possui características mais racionais, o que levaria o indivíduo destro a desenvolver melhor atividades numéricas e linguísticas. Já o hemisfério direito possui um desenvolvimento mais ligado ao sentimental, às artes e à música, por isso, acreditava-se que os canhotos seriam mais inteligentes que os destros.

Porém, isto acontece porque em um mundo dominado por instrumentos feitos para os destros, como tesouras, mouses e abridores de lata, os canhotos precisam se adaptar melhor às diferenças, tornando-se assim mais descolados.Por causa dessas necessidades específicas dos canhotos, foi criada uma Associação que cuida particularmente de seus interesses, que aqui no Brasil recebe o nome de ABRACAN. Além de utensílios fabricados e pensados especialmente para eles, os canhotos ganharam um dia para celebrar seu canhotismo e para que não se sintam mais tão excluídos da sociedade, comemorado no dia 13 de agosto.

Esta discriminação que sofrem até hoje é resultado de superstições e crenças de culturas antigas. Em países de religião Islâmica/Muçulmana, as pessoas são proibidas de comer com a mão esquerda, por acharem este hábito totalmente sujo. Mas nem tudo é considerado ruim em se falando de ser canhoto.

O atual campeão de Wimbledon, o tenista destro Rafael Nadal, é treinado desde menino para jogar com a mão esquerda, já que no tênis a maioria de jogadores é destro e o jogo contra um canhoto se torna demasiadamente difícil. Apesar desta vantagem no tênis, há esportes em que canhotos são proibidos de utilizar a mão esquerda, como no caso do polo, jogo em que esportistas utilizam um taco para bater numa bola e marcarem gols, tudo isso em cima de um cavalo.

Fora isso, muitos outros esportistas canhotos se destacaram em suas modalidades, como o caso dos jogadores de vôlei de quadra André Nascimento e, de praia, Leila, os jogadores de futebol Romário, Maradona e Thiago Neves. Além disso, outros famosos que conhecemos são: Machado de Assis, escritor, fundador da Academia Brasileira de Letras, Julia Roberts, atriz norte-americana, Bill Gates, dono da Microsoft e já visto como o homem mais rico do mundo e a jornalista e apresentadora Fátima Bernardes.

Viu quanta gente legal também é canhota? E agora, você entendeu porque algumas pessoas utilizam mais um lado do corpo do que o outro? Então você já pode parabenizar os colegas canhotos ou até mesmo criar um dia para comemorar o dia do destro na sua escola.

Fonte: Um mundo torto – Manuela Musitano

Read Full Post »

por JOSÉ REIS
AF

Muito se tem estudado e especulado sobre o funcionamento do cérebro dos canhotos. O uso preferencial de uma das mãos está muito ligado à distribuição de funções entre os hemisférios cerebrais. Estes, sabe-se hoje, são funcionalmente assimétricos. O esquerdo é geralmente ligado ao controle dos aspectos cognitivo-racionais da linguagem, e o direito, à compreensão musical, à identificação das relações espaciais e ao controle dos aspectos afetivos da linguagem.

Em 95% dos destros e 70% dos canhotos, os aspectos cognitivo-racionais da linguagem são controlados pelo hemisfério esquerdo. Em metade dos canhotos restantes, a linguagem é controlada pelo hemisfério direito. A outra metade não mostra assimetria, sendo a linguagem controlada igualmente pelos dois hemisférios. Estudos comparados não apontaram diferença de desempenho entre canhotos e destros em testes verbais.

Quando nasce, a criança não tem lateralização definida, que só se instala progressivamente e se estabiliza dos 6 aos 8 anos, com o começo da prática da escrita. Uma lesão no hemisfério esquerdo causa afasia em 95% dos destros. A freqüência e a velocidade da afasia são maiores nos ambidestros ou nos que têm antecedentes familiares de canhotismo ou ambidestralidade.

Nos destros, uma lesão do hemisfério direito só afeta em geral a prosódia, a linguagem perde a entonação, o relevo. Lesão do hemisfério esquerdo no canhoto e no ambidestro provoca afasia mais vezes que uma lesão no direito. Essa afasia regride melhor que nos destros. A explicação das diferenças entre canhotos e destros parece encaixar-se na explicação geral da repartição assimétrica das grandes funções cerebrais. Das muitas explicações aventadas, três gozam de maior voga: a hipótese anatômica, a genética e a relacional.

A hipótese anatômica considera que até 1960 os trabalhos desse tipo salientavam a semelhança morfológica dos dois hemisférios. Mas, em 60, Geschwind e Levine mostraram que uma zona do lobo temporal é muito mais extensa à esquerda. Em 1980, Geschwind e Galaburda revelaram assimetria na área de troca, favorecendo o lado esquerdo. Tal assimetria está presente no feto desde a 31ª semana de vida. Já se demonstrou que na maioria dos canhotos com lesão cerebral esquerda a linguagem é controlada pelo hemisfério direito, ao passo que, nos sem lesão, ela é controlada exclusivamente pelo hemisfério esquerdo. O número de canhotos é maior em crianças com dificuldade de aprendizagem e em portadores de lesões cerebrais precoces.

A hipótese genética baseia-se na verificação da existência de tendência familiar ao canhotismo. Em 1973, Annett, em 3.604 casos, revelou que, se pai e mãe são destros, a probabilidade de o casal ter filhos destro é muito maior que nos casais de canhotos ou de canhoto e ambidestro. Haveria na maior parte das pessoas um gene favorecedor do lado direito e, na ausência desse gene, o indivíduo poderia ser canhoto ou destro. Para explicar por que pais canhotos podem ter filhos destros, Annett imaginou que os pais poderiam ter sofrido lesões cerebrais no nascimento, de modo que o fator direcionador não se manifestaria neles, mas seria transmitido aos filhos.

Segundo a hipótese relacional, a lateralização da criança se desenvolve em função do meio em que vive. Não se nota predominância manual no recém-nascido. Ele a adquire com o tempo, tornando-se destro num mundo de destros.

Fonte: Saiba como o cérebro do canhoto funciona

Read Full Post »

Por Aline Vieira

Segundo estudos, cada pessoa nasce com uma preferência por um lado do corpo, o que a faz, logo pela infância, escolher com qual das mãos – ou pés – fará as atividades mais significativas em sua vida.

Já no século XVI, o chamado clã dos Kerr, da Inglaterra, encontrou uma arma interessante para lutar contra seus inimigos escoceses, que queriam tomar suas propriedades: construíram um castelo com escadarias espirais da direita para a esquerda que dificultavam a invasão de pessoas… destras. Apesar de curioso para a época, o plano deu certo. Os Kerr, que eram uma família dominada por canhotos, descobriram uma técnica fácil para se sair bem num mundo que já era feito para os “de direita”.

A curiosidade em torno do porque uma pessoa nasce destra e outra canhota sempre existiu. Na idade média, acreditava-se que se uma pessoa tinha dominância pela mão direita, ela era saudável e abençoada, enquanto os que preferiam a mão esquerda eram criaturas demoníacas e perversas.

Naquela época, escrever com a mão esquerda era considerado um erro que devia ser consertado o mais rápido possível. Quem era canhoto era reprimido – levava chicotadas, cintadas e tapas nessa mão – e induzido a aprender a se virar com a mão direita. Isso porque, em alguns países islâmicos, a mão esquerda era a “mão suja”, utilizada para tarefas como a higienização do corpo.

De lá para cá, a tolerância com os canhotos pode ter aumentado, mas eles ainda têm que aprender a lidar com um mundo onde as tesouras, os abridores de latas e as torneiras ainda funcionam para o lado “errado”. Para os destros que, segundo estimativas, são 90% da população mundial, fazer tudo com a mão esquerda ainda é um espanto.

Para os cientistas, tentar explicar o que acontece no corpo e no cérebro para se definir uma pessoa destra ou canhota ainda é um problema. “Existem pesquisas que tentam entender o porquê do canhotismo ou do destrismo, mas nada pôde ser comprovado cientificamente”, diz o psicólogo especializado em Neurociências Márcio Toledo. Apesar disso, todos partem do princípio da teoria da lateralidade. “Ela pode ser definida como a preferência (e dominância) de cada pessoa por um dos lados do corpo – não só a mão”, afirma o psicólogo.

A lateralidade parte do princípio de que o corpo depende das atividades cerebrais para funcionar e, portanto, segue as ordens dele. O cérebro, por sua vez, é dividido em dois hemisférios: o direito e o esquerdo. O lado esquerdo dele coordena a parte direita do corpo, enquanto o direito coordena a parte esquerda do corpo.

Segundo a lateralidade, cada pessoa tem um maior comando por uma das partes do cérebro e é aí que se define quem é canhoto e quem é destro – os destros são comandados pelo lado esquerdo do cérebro e os canhotos pelo lado direito. Também há pessoas que têm a mesma dominância de comando dos dois hemisférios cerebrais e, portanto, têm a mesma facilidade em ambas as partes do corpo.

Os cientistas afirmam que numa família de pais destros, a chance de a criança ser canhota é só de 2%. Essa estatística salta para 17% se um dos pais for canhoto e para 50% se ambos forem canhotos.

Já segundo o psicólogo americano Arnold Gesell, especializado em desenvolvimento infantil e famoso por anos de pesquisa na área, é possível perceber se uma criança será destra ou canhota desde cedo através de observações comportamentais simples, como ver a mão que ela usa para apontar, pedir comida ou brinquedos, e até mesmo pra que direção ela vira na hora de dormir. “Essa preferência realmente começa a ser mais perceptível quando a criança tem entre 5 e 9 anos de idade”, concorda Dr. Toledo.”

Fonte: Por que as pessoas são canhotas ou destras – Ig Educação

Read Full Post »

Leves estímulos de eletricidade no cérebro podem fazer com que os destros utilizem melhor a mão esquerda, segundo um novo estudo feito por pesquisadores americanos e divulgado no site científico Live Science. Por meio de uma técnica não invasiva, os cientistas identificaram em testes que os indivíduos que usam os membros do lado direito do corpo, preferencialmente e com maior habilidade, apresentaram uma melhora nos movimentos do lado esquerdo.

A técnica, chamada de corrente contínua de estimulação transcraniana (tDCS, na sigla em inglês), consiste em conectar eletrodos ao couro cabeludo com o objetivo de alterar a propriedade dos neurônios cerebrais dos tecidos subjacentes. Em testes com 16 voluntários totalmente saudáveis, os cientistas do Centro Médico Beth Israel e da Escola Médica de Harvard, nos Estados Unidos, descobriram que a destreza da mão esquerda dos participantes aumentou ligeiramente com o método.

Com o equipamento, os pesquisadores avaliaram os efeitos da aplicação elétrica na região motora de um dos lados do cérebro, em comparação com os dois.

Desconhecendo o procedimento que estava sendo feito, os voluntários utilizaram os dedos da mão esquerda como chave para uma série de números em um computador. Cerca de 24% dos avaliados obtiveram uma melhora tanto na região motora esquerda quanto na direita. Já outros 16% tiveram um aumento da destreza em apenas um dos lados. Em um teste falso, onde nenhum estímulo foi produzido, o número atingiu 12%.

Os resultados da pesquisa foram divulgados na edição de 27 de outubro da revista científica BMC Neuroscience.

Para Gottfried Schlaug, um dos estudiosos, as conclusões são relevantes para a investigação clínica nos processos de recuperação motora de pessoas que sofreram acidente vascular cerebral (AVCs). “Estimulando as regiões motoras do cérebro, poderíamos ajudar os pacientes a recuperar alguns dos movimentos que eles possam ter perdido”, afirmou.

A pesquisa foi financiada em parte pelo Instituto Nacional de Neurologia, o Centro de Integração de Medicina e Inovação Tecnológica (Cimit, na sigla em inglês) e da Fundação Michael Smith para Pesquisa de Saúde.

Questionamentos
Luiz Alcides Manreza, especialista do Departamento de Neurologia do Instituto de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), questionou o resultado do estudo realizado pela equipe americana de pesquisadores, alertando que não existem registros de pesquisas com o método em questão. “É um caso novo porque não se tem conhecimento de estudos que possam ter chegado a estes resultados”, avaliou. Segundo ele, “se for comprovado cientificamente que os estímulos ajudam os destros a controlar melhor os membros da esquerda, acredito que a técnica poderia auxiliar no tratamento de pacientes que sofreram AVCs”, considerou.

O neurologista informou que infelizmente ainda não existem mecanismos que recuperem mais rápido a mobilidade de pacientes que sofreram derrames, além dos tratamentos tradicionais, como fisiatria e fisioterapia, fonoaudiologia, psicólogo e terapia ocupacional.

da Redação Terra

Read Full Post »

da BBC Brasil

Uma pesquisa da Universidade de Abertay, na Escócia, afirma que pessoas canhotas podem ser mais ansiosas, tímidas ou se sentirem constrangidas para dizer ou fazer o que querem.

“Os canhotos têm mais chances de hesitar (frente a uma situação), enquanto que destros tendem a ‘se jogar’ mais”, afirmou Lynn Wright, que chefiou a pesquisa. E este parece ser o caso quando uma tarefa ou situação é nova ou diferente.

Em testes de inibição comportamental, 46 homens e mulheres canhotos pontuaram mais do que os 66 destros testados. Mulheres também pareciam ser ainda mais hesitantes do que homens.

Wright e a equipe de pesquisadores da universidade escocesa chegaram a estes resultados ao fornecerem aos voluntários um teste comportamental que avalia controle pessoal e impulsividade, traços de personalidade que parecem ter origem em lados opostos do cérebro.

Conexão
Os cientistas descobriram que, comparados aos destros, canhotos e mulheres tinham mais probabilidade de concordarem com afirmações como “Temo cometer erros” e “Críticas ou censuras me magoam”.

Todos os grupos responderam de forma semelhante a declarações como “Costumo agir de forma impulsiva” e “necessito excitação e novas sensações”.

Leia a reportagem completa abaixo:

Canhotos tendem a ser mais tímidos, diz estudo

Read Full Post »

Older Posts »