Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Sofrimento canhoto’ Category

por Antenor Thomé

Quando estava encerrando minha faculdade de jornalismo em 2003, tinha que fazer o tal TCC. Acabei fazendo um vídeo sobre o Riso, mas eu tinha um “plano B” que era escrever um livro sobre a “Vida do Canhoto”.

Eu sou canhoto e nunca tive nenhum problema sobre isso, aliás eu acho o máximo. O primeiro aspecto que se comenta é o de escrever com a mão esquerda. Muita gente fala que canhoto tem letra feia e encontra dificuldades para escrever. Minha letra é bonita, as pessoas vivem elogiando e quanto as dificuldades acredito naquela história da adaptação. Fui aprendendo a lidar com as dificuldades e hoje não encontro grandes problemas.
Eu cheguei a fazer uma longa pesquisa sobre essa questão do canhoto e dos instrumentos adaptados para facilitar nossa vida. Quem é destro nunca deve ter parado para pensar, mas instrumentos simples como tesoura, régua e abridor de lata são feitos para pessoas que usam a mão direita. Esses objetos criados para o mundo dos destros fazem com que o canhoto tenha uma imagem de desajeitado, atrapalhado porque ao usar um abridor de latas, por exemplo, parecemos contorcionistas.
O que muita gente não sabe é que existiu um preconceito muito forte contra os canhotos e ainda há muitos traços desse preconceito ainda hoje. Vamos então buscar algumas explicações e respostas na história para entendermos o que há de temível nos canhotos.
Começemos pela religião, elas adoram criar preconceitos e idéias malucas sobre as coisas. Na bíblia Jesus senta-se ao lado direito de Deus. No século XVII difundiu-se a idéia de que o Diabo batizava seus seguidores com a mão esquerda. O Alcorão, por exemplo, diz que aqueles que carregam o livro na mão esquerda no dia do Juizo Final são as pessoas que não foram bem-venturadas. Ainda falando de religião, muitos canhotos foram queimados em fogueiras porque eram considerados feiticeiros, bruxas e paranormais.
Saindo da religião e partindo para a política. Percebemos também a forte influência desse pensamento obscuro com o lado esquerdo. Bom, de cara podemos citar o fato de o lado do contra, opositor, que está a margem é a “esquerda”. Na monarquia francesa ficava notória essa separação. Nobres ficavam ao lado direito do Rei, já a burguesia sempre a esquerda.
Esses são fatos que foram criando um imaginário que foi passando de geração para geração. Em um passado não tão distante professores repreendiam alunos que escreviam com a mão esquerda, forçavam crianças aprender a escrever com a mão direita. Até cumprimentar alguém é “correto” fazer com a mão direita.
Estima-se que cerca de 10% da população seja canhota. Alguns livros tentam encontrar respostas sobre as razões desta questão, um deles chama-se “Right Hand, Left Hand”. Não existem dados e estudos conclusivos sobre o canhoto. Muitos dizem que o canhoto é alguém diferenciado porque o lado direito do cérebro é mais ativo, lado esse que é ligado a genialidade, com as habilidades artísticas e visuais.
Pra finalizar e mostrar esse certo preconceito vou citar mais duas coisas. Adivinhe qual é o dia do canhoto. Dia 13 de agosto. Não preciso dizer que é um dia considerado por muitos de azar e no mês considerado de mal agouro.
Alguns idiomas deixam claro o lado negativo do canhoto. Bom, o contrário de canhoto em português é destro, que significa alguém dotado de destreza, hábil, correto. Em italiano canhoto é “sinistro” que quer dizer de mau agouro, fúnebre, ameaçador. Já em francês canhoto é “gauche” que significa alguém acanhado, inepto.
Quem utilizou muito bem esse termo foi Carlos Drummond de Andrade na primeira estrofe do poema “Poema de Sete Faces”.
Quando nasci, um anjo torto
desses que vivem na sombra disse:
Vai, Carlos! ser gauche na vida.

Read Full Post »

Aprender um ofício é coisa cheia de rituais. Tive um funcionário no Nabuco, um japonês, cuja maior frustração era não poder aprender a fazer sushi por ser canhoto. Não havia quem se dispusesse a aceitá-lo como aprendiz.

Contei essa história para o Arnaldo Lorençato e ele, encafifado e diligentemente, apurou que não há impedimento formal para eles mas que, de fato, “muitos chefs e sushiman destros têm certa repugnância em ensinar discípulos canhotos, pois são obrigados a inverter o processo para mostrar o corte. Um sacrifício, pois se trata de um processo ainda mais árduo que o aprendizado convencional”.

Lorençato forneceu outras informações preciosas, que agradeço partilhando com os leitores.

“Certo é que mestres e todos os tipos de artesãos preferem os destros, especialmente na carpintaria e na marcenaria, porque no artesanato se exige muita disciplina e uniformidade no resultado. Canhotos fazem nós e cortes diferentes. Precisam, portanto, trabalhar o dobro para superar esse obstáculo”, esclarece Lorençato.

“O mais famoso dos sushimen canhotos no Japão é Jiro Ono, dono e chef do Sukiyabashi Jiro, o três estrelas do sushi mais respeitado de Tokyo. Relatos sobre Jiro-san e também outro sushiman canhoto, Ryuichi Yui, dono e chef do Sushi “Ki”, podem ser lidos em Sushi o Kiwameru (tradução livre: Radicalizando o Sushi), ed. Kodansha, 2003, somente em japonês. Nesse livro, ambos contam o drama de ser canhoto num mundo de artesãos destros. O único sushiman canhoto de qual tenho notícia em São Paulo é Mario Nagayama, da rede Nagayama. Há anos, entretanto, ele atua apenas como empresário”, finaliza o critico que é também o maior e mais erudito especialista brasileiro em culinária japonesa.

Liberdade de aprendizado para os canhotos!

* Carlos Dória é doutor em sociologia e assina o Blog E-Boca Livre.

O canhoto na cozinha japonesa

Read Full Post »

por Diogo Goulart
Meus pais colocaram os talheres na minha frente e eu decidi ser diferente, peguei o garfo com a mão esquerda e desde então adicionei mais um adjetivo ao meu ser: canhoto.
Mas qual o problema em ser canhoto? Dizem que os canhotos são mais sensíveis, voltados para as artes e lógico, mais inteligentes, só pra citar alguns ilustres canhotos: Picasso, Da Vinci, Chaplin, Machado de Assis, Bill Gates, Albert Einstein, preciso dizer mais alguma coisa?
Então porque tanto preconceito contra os canhotos? Só há uma resposta: o mundo foi feito para os destros.
Só pra começar canhoto é também conhecido como sinistro, em português canhoto é sinônimo de inábil, já o destro é sinônimo de hábil, direito. A mão do destro é a direita, ou seja, a mão certa, a mão da maioria, o canhoto usa a mão esquerda, a mão “errada” a mão contrária.
Lembro que quando eu sentava ao lado do meu irmão nas refeições era briga na certa, cotovelo batendo com cotovelo, agora consigo me controlar melhor e procuro um lugar à mesa aonde eu não incomode ninguém.
E no colégio e faculdade? As cadeiras foram feitas para os destros, as vezes eu pedia cadeira pra canhoto mas era sempre um transtorno, tinham que procurar pelas salas até acharem uma perdida acomodando alguma mochila. Olhavam pra mim com pena, tadinho, ele precisa de uma cadeira pra canhoto. Cansei. Resolvi me contentar com as cadeiras de destro, hoje estou tão acostumado que prefiro estas à de canhotos.
Não podemos esquecer de outros utensílios feitos para destros, a régua, a tesoura e o famigerado abridor de latas, você que é destro pode estar se perguntando o porque disso, mas só um canhoto pode me entender, e como conviver com tudo isso? Foi fácil, me adaptei, aprendi a usá-los com a mão direita, traí minha categoria, nesses momentos sou um destro.
Não chego a ser ambidestro, olha outra discriminação, porque não ambicanhoto, porque ambidestro? O destro sempre prevalecendo. Como eu ia dizendo, não sou ambidestro, só desenvolvi uma forma de me adaptar melhor ao mundo cruel em que vivo. Não consigo escrever de forma alguma com a mão direita, já tentei, na época em que isso me incomodava, mas isso passou, até porque não teve jeito mesmo.
Também uso a perna direita pra chutar, e é claro, acordo sempre com o pé direito só por supertição é melhor não brincar com isso né?
Posso até estar exagerando, talvez esteja, porque esta “condição” realmente nunca me atrapalhou em nada, é só um pequeno desabafo não é tão ruim ser torto, acanhado, esquerdo, inapto, é como Drummond disse: “Quando nasci, um anjo torto desses que vivem na sombra disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida”.
Não posso esquecer de uma última conclusão que tirei, se Deus escreve certo por linhas tortas, é óbvio que ele é canhoto, ou seja, ser canhoto é ter algo de divino. Foi mal hein.

Read Full Post »

Outro dia eu estava numa roda de amigos conversando animadamente. O meu filho de cinco anos permanecia brincando ao lado. Um dos meus amigos observou que o garoto era canhoto e fez um comentário que me deixou nervoso.
Devo esclarecer que não gosto que reprimam meus filhos. Fico bravo mesmo.
Disse o meu amigo, que eu deveria colocar uma meia na mão do menino pra forçá-lo a usar a mão direita.
Eu argumentei que de nada valeria tal artifício, pois não se tratava de escolha ou hábito do meu filho. Ele então do alto da sua sabedoria(?), disse que lhe desse umas boas palmadas toda vez que ele usasse a mão esquerda, isso resolveria o problema.
Tive vontade de mandar o meu amigo para um certo lugar, porém, preferir me calar para não ofender o idoso senhor e sua genitora. Mordi a língua e fiquei calado. Pouco depois arranjei uma desculpa qualquer e fui embora. Passei numa sorveteria e juntamente com o meu filhos tomamos em sorvos lentos algumas bolas de sorvetes.
Depois de velho estou engolindo sapos a toda hora.

Durante milhares de anos, o lado esquerdo tem sido preterido e marginalizado e isso é demonstrado, na prática, nas crenças preconceituosas e palavras pejorativas que lhe são associadas.

Por outro lado, a direita é sempre louvada, exaltada, considerada normal.
A Bíblia indica como lugar de honra à direita do Deus-Pai.

Os canhotos, aqueles que usam a mão esquerda, ficaram estigmatizados, como pessoas no mínimo diferentes e esquisitas.

Até há poucas décadas, os canhotos eram castigados ou convencidos á alguma forma a trocarem direitinho mão. Pessoas canhotas não eram bem vistas.

Sabemos que ser canhoto é fazer um esforço a mais para coisas tão banais do cotidiano que, na verdade, não deveriam exigir esforço algum. Torneiras, maçanetas,  tudo o que gira, gira para a direita, seguindo a ditadura dos destros.

Para os canhotos, de duas, uma: ou vivem um eterno jogo de desmunhecar ou aprendem a lidar com as coisas usando a mão direita.

Uma das teorias mais, aceitas para justificar a preferência pelo lado direito das coisas diz que isso surgiu com os primeiros habitantes do hemisfério Norte, adoradores do Sol. Pois, no hemisferio Norte, o Sol parece mover-se no sentido horário, para a direita. Seguindo nessa mesma direção, os budistas fazem suas caminhadas para meditar.
Os peregrinos que vão a Meca rezar para Alá, circundam da esquerda para a direita a Kalaba, a construção onde está a pedra sagrada dos seguidores de Maomé.

E tem mais, os muçulmanos, afirmam e acreditam que Deus tem duas mãos direitas, só não afirmam que os canhotos vão para o inferno.

Na idade média, a inquisição queimou os canhotos, como praticantes de bruxarias, mensageiros da morte e enviados do diabo.

As escritas alfabéticas de modo geral indiscutívelmente favorecem os destros, porque correm da  esquerda para a direita. Nessa direção, o canhoto cobre com a própria mão o que está escrevendo ou acaba torcendo o punho, segurando a caneta com a mão em forma de gancho.

Não existe uma explicação cientifica para o fenomeno do canhotismo. Nem a ciência moderna consegue explicar.
A única expressão organica do canhotismo é o fato de o lado  direito do cérebro ser aproximadamente onze por cento maior do que o esquerdo e dele partir um feixe mais expresso de nervos.

É fato comprovado que os canhotos são mais ágeis e por isso se destacam nos esportes. No futebol vários jogadores se destacaram pelo o uso magistral da perna esquerda, tais como: Gerson, o “canhotinha de ouro. Rivelino, que executava maravilhosamente os dribles curtos  e chutava muito forte, ficou conhecido como a “patada atômica”.

Apenas para ilustração, citaremos algumas pessoas famosas que eram canhotas;Benjamim Franklin, Beethoven, Baden Powell, Beth Faria, Chaplin, Denis Carvalho, Jimi Hendrix, Leonard da Vinci, Marilyn Monroe, Michelângelo, Napoleão, Paul McCartney, Picasso, Ringo Starr, Robert Redford, Ronald Regan e o meu filho Mardem Willian.

pesquisa: Mat. Lúcia Helena de Oliveira

RONALDO JOSÉ DE ALMEIDA
Publicado no Recanto das Letras em 08/03/2008
Código do texto: T892789

Read Full Post »

Ser canhoto ou esquerdino (em português de Portugal) significa ter mais habilidade com a mão esquerda do que com a mão direita. Mas esta característica tão simples teve, ao longo do tempo, implicações muito importantes a nível da sociedade e da religião: de facto, “canhoto” é também o mesmo que demônio, daí a utilização da expressão “cruzes, canhoto!”

Embora inicialmente a palavra latina “sinister“, que queria dizer “esquerdo”, significasse “afortunado”, as línguas francesa, espanhola e italiana aplicam à palavra canhoto um significado pejorativo: esquerda em italiano diz-se “sinistra” e a palavra francesa “gauche” (esquerdo) pode aplicar-se também a algo incorrecto ou desajeitado, no sentido idêntico ao da palavra portuguesa “canhestro”, que é sinónimo de canhoto. Na religião muçulmana, houve mesmo alguns seguidores de Maomé que afirmaram que Alá tinha duas mãos direitas. Excepção à regra é o grego, que foi o único a favor da esquerda, no que se refere ao sinónimo. O termo grego que designa a mão esquerda, tem o sentido de “melhor” e a mesma origem da palavra “aristocracia”.

Na época medieval, as mulheres canhotas foram alvo de especial perseguição, tornando-se os bodes expiatórios perfeitos para aplicar a qualquer pessoa que tivesse um comportamento diferente do “normal”. A propaganda religiosa sobre o “pecado” enraizou-se em massa nas comunidades, dando origem a uma rede de intrigas que envolvia também as velhas, as viúvas, as loucas, as solitárias, as promíscuas e as parteiras e praticantes da medicina popular. No caso das canhotas, as acusações de bruxaria baseavam-se na relação estabelecida nos textos antigos entre o lado esquerdo e o pecado e a tentação.

Bibliografia:
SANTOS, Manuel Coelho dos, O direito de ser canhoto, Lisboa, Quarteto Editora, 1991.
NOGUEIRA, Carlos Roberto, As práticas mágicas no Ocidente Cristão, Rio de Janeiro, Editora Ática, s.d.

http://passadocurioso.blogspot.com/2005/11/canhotas-e-outras-bruxas.html

Read Full Post »

Meus pais colocaram os talheres na minha frente e eu decidi ser diferente, peguei o garfo com a mão esquerda e desde então adicionei mais um adjetivo ao meu ser: canhoto.
Mas qual o problema em ser canhoto? Dizem que os canhotos são mais sensíveis, voltados para as artes e lógico, mais inteligentes, só pra citar alguns ilustres canhotos: Picasso, Da Vinci, Chaplin, Machado de Assis, Bill Gates, Albert Einstein, preciso dizer mais alguma coisa?
Então porque tanto preconceito contra os canhotos? Só há uma resposta: o mundo foi feito para os destros.
Só pra começar canhoto é também conhecido como sinistro, em português canhoto é sinônimo de inábil, já o destro é sinônimo de hábil, direito. A mão do destro é a direita, ou seja, a mão certa, a mão da maioria, o canhoto usa a mão esquerda, a mão “errada” a mão contrária.
Lembro que quando eu sentava ao lado do meu irmão nas refeições era briga na certa, cotovelo batendo com cotovelo, agora consigo me controlar melhor e procuro um lugar à mesa aonde eu não incomode ninguém.
E no colégio e faculdade? As cadeiras foram feitas para os destros, as vezes eu pedia cadeira pra canhoto mas era sempre um transtorno, tinham que procurar pelas salas até acharem uma perdida acomodando alguma mochila. Olhavam pra mim com pena, tadinho, ele precisa de uma cadeira pra canhoto. Cansei. Resolvi me contentar com as cadeiras de destro, hoje estou tão acostumado que prefiro estas à de canhotos.
Não podemos esquecer de outros utensílios feitos para destros, a régua, a tesoura e o famigerado abridor de latas, você que é destro pode estar se perguntando o porque disso, mas só um canhoto pode me entender, e como conviver com tudo isso? Foi fácil, me adaptei, aprendi a usá-los com a mão direita, traí minha categoria, nesses momentos sou um destro.
Não chego a ser ambidestro, olha outra discriminação, porque não ambicanhoto, porque ambidestro? O destro sempre prevalecendo. Como eu ia dizendo, não sou ambidestro, só desenvolvi uma forma de me adaptar melhor ao mundo cruel em que vivo. Não consigo escrever de forma alguma com a mão direita, já tentei, na época em que isso me incomodava, mas isso passou, até porque não teve jeito mesmo.
Também uso a perna direita pra chutar, e é claro, acordo sempre com o pé direito só por supertição é melhor não brincar com isso né?
Posso até estar exagerando, talvez esteja, porque esta “condição” realmente nunca me atrapalhou em nada, é só um pequeno desabafo não é tão ruim ser torto, acanhado, esquerdo, inapto, é como Drummond disse: “Quando nasci, um anjo torto desses que vivem na sombra disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida”.
Não posso esquecer de uma última conclusão que tirei, se Deus escreve certo por linhas tortas, é óbvio que ele é canhoto, ou seja, ser canhoto é ter algo de divino. Foi mal hein.

http://criticascriticaveis.blogspot.com/2008/05/o-mundo-dos-destros.html

Read Full Post »

Read Full Post »

Older Posts »